Num Jardim

 

 

 

 

Costumava vir aqui

itinerante borboleta

sugar poesia

 

Outra intenção não

tinha a não ser do

alimento

 

Nunca ninguém se

importou e por que

importaria

 

Poeta nasceu para

dar

ser flor

 

Poeta nasceu para

ser

alimento

 

Tudo estava bem

no jardim

e assim continuaria

 

Não fosse

a borboleta encontrar 

a Poesia

 

Sim uma

linda flor que um

poeta cria

 

Num farto

jardim de um só

sentimento

 

E agora

borboleta

e agora

 

Cativa do fascínio

dum único aroma

– ainda voa?

 

Embriagada no néctar

dum único sabor

– estás tonta?

 

Presa duma cor

entre múltiplas formas

– estás cega?

 

Efêmera borboleta.

Efêmera flor.

Eterno jardim.

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Num Jardim

  1. Que lindo poema Sem.

    Quanta sutileza, delicadeza, gentileza pra alma.

    Aliás, lindas suas imagens, a do olho magnífica, onde você arranja essas coisas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s