Introspecção

 

 

 

 

 

 

 

Introspecção

Em que pese a minha ignorância

eu estou no limiar

de algo…

 

Observo

estanque

a todo o meu redor

uma porta para um quarto escuro

 

Iludo-me

 

Lá dentro o mistério só pode correr solto

enquanto eu aqui

de fora e com essa impressão de liberdade

enquanto durar o breve átimo da escolha

entre atravessar o portal

ou virar-me de costas

 

Se eu me viro, só posso voltar-me para dentro

(não há outro lugar mais fora dentro)

e, se me adentro, atravesso ao portal

 

Não há escolha

 

Eu estou no limiar de

tempos:

atrás (lá dentro) o passado

adiante (lá dentro) o futuro

e eu aqui só tenho agora para me decidir

 

Eu estou no limiar de

mundos:

por onde foi que passei e me fez desse jeito atento

vai me levar lá para dentro…

 

Em que pese minha ignorância

quis o mistério

deuses me ouviram e me marcaram esse encontro.

 

 

 

(Juçana Corrêa)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s