Nós e Vós

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nós e Vós

 

Eu poderia reconhecer o seu sorriso daqui há milênios

no meio de uma multidão entre as trevas

o seu sorriso

que vem de entre uns dentes meio tortos e lindos

e de uns olhos pequenos e luminosos de bondade

que se acendem ao contentamento por me ver e viver. Sim

eu estou aqui e te esperava mas

sem saber que te esperava. Pensei que era só eu

que só eu é que era assim e assim solitária eu me sentia

em descobrir como andar pelo meu solitário caminho.

Sabe o seu sorriso é igual ao do seu amigo. Vem de dentro e mesmo eu acho

é igual ao de todos os amigos que se encontram. Com a diferença

de que vocês carregam sempre o encontro consigo. Mas não.

Não te invejo nem admiro, mãe? Pois eu sou você

sei que viemos da mesma cepa e somos a mesma carne

e deve ser por isso que você veio me buscar. Amiga?

O que você veio fazer? Fez-me um bem enorme. Obrigada.

Obrigada. Dois segundos de compreensão e bastam para uma vida

o mundo e a eternidade cabem num único momento iluminado.

Dois segundos e um breve e firme aperto de mão.

Um segundo e meus dedos são dentes no seu braço. Inspiro

e recebo a compreensão de que preciso. Inspiro

e todas as células do meu corpo formigam até que eu me reconheça dentro do meu próprio corpo.

Estremeço. O mundo é colorido e me reconhece enquanto eu reconheço o mundo de novo colorido. Aceito

a inspiração sem alegria ou pesar das coisas como são. Nenhuma palavra

apenas os seus sorrisos de reconhecimento e de doação. Eu aceito.

Será a morte ou a vida o que vem a seguir? Vocês sabem mas não me dizem nada

apenas me doam a compreensão do universo com os seus sorrisos. E eu aceito

com a gravidade que acredito devo receber o universo e deixo passar. Expiro.

Uma onde luz varre o salão em que estamos e descortina-se uma população de seres ao nosso redor

que se deixam indiferentes varrer pela luz do meu hálito e é uma pena

para estes seres o mundo continua igual. Apenas algumas sombras reconhecendo a luz vão-se embora.

Mas para nós tudo é diferente agora: vocês estão em mim e nós somos eles e eu me reconheço em vós

e vós estão neles. E é por vós que agora eu sei que ninguém pode doar sem receber.

E porque recebi posso doar e porque inspirei posso expirar e…

Só ainda não reencontrei a alegria perdida do fim de um dia da minha primeira infância

desde então sinto que sou apenas o reflexo daquele ser que vaga no mundo se procurando.

Mas isso é apenas o meu eu sem vós. Pois tão breve é o intervalo entre uma respiração e outra

tão brevíssimo o intervalo e que pode conter a eternidade dos mundos, nos contendo.

 

 

 

 

Juçana Corrêa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s