A Luz, A Meia-luz e A Escuridão

 

 

 

 

Fiona Watson

 

 

 

 

 

Porque não tenho outros olhos para olhar que não com os olhos da cor e da luz
Tudo vejo em termos de cor e de luz
As sombras desprezo
Mas o que não vejo é o que me dá os contornos
Como a terra silenciosa dá os frutos

E quando olho para o que não vejo
Expondo-o sob a luz
As sombras vão ganhando cor
E desparecendo

E quanto mais jogo luz
Menos vejo
Quanto o campo de mais joio saturado menos nasce o trigo

Em muita luz preciso semicerrar os olhos para ver melhor
Mas para ver no escuro preciso fechar os olhos completamente
E quando de olhos fechados vejo a luz crescente
Preciso fechar os olhos de dentro dos olhos fechados
E fechar de novo a cada nova luz

A visão interior vê melhor na escuridão
Como as raízes não precisam da luz

E quanto mais fechamos os olhos
Dentro dos olhos
Mais visão
Claridade
Pão
E Deus

Quem me disse foi uma luz

 

 

 

 

 

(Juçana Corrêa)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s