Hexagrama 51

O choque vem: oh, oh!
Expressões de riso: ha, ha!
O choque gera pavor num raio de cem milhas
e ele não deixa cair a colher do cerimonial de sacrifício,
nem o cálice.

 

 

 

 

Christine Dyrnes

 

 

 

 

Trovão sobre trovão.
Tremor.
Num átimo de verdade e luz nos foi dado ver
E vimos
O campo verde e molhado sob a noite sem lua.

Mas,
Espere,
O campo em verdade não é verde, embora viceje.
Tampouco é molhado, embora agora esteja.

A verdade sempre óbvia
E nunca aparente dos estados de passagem.

Breve (à luz do tremor),
O movimento verde passará a amarelo
E de amarelo aparente, passará a ser terra.
O encharcado secará
E o campo
Parecerá outro,
Mas será o mesmo,
Sob o mesmo céu imutável,
Onde a terra, por milênios imperturbáveis,
Florescerá.

Somos, assim, como os campos verdes:
Seres de passagem
Comovidos
Por momentos de trovão;

Os ouvidos nos mentem,
Os olhos nos cegam,
O trovão nos corrige.

Seres assim como campos multicoloridos

Suscetíveis

De Grande Tremor.

Ilumina-nos,
Trovão!

Oh!
Os campos de arco-íris em essência inexistem.
Eis a dura verdade: seres de poesia.
Ha! Ha! Ha!

 

 

 

PS: Dei uma revisitada aqui, de outra vez que me saiu o hex 51 com outras linhas móveis. Não creio que este seja o hexagrama que mais saiu das vezes em que joguei o I Ching, mas devo admitir que é um dos que mais me impressionam, dada as poesias que ele já inspirou.

Conclusão: povoam-me as mudanças.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s