Dois poemas

 

 

 

 

 

 

 

 

Inconsciente

 
O vento vadia entre flores
e acelera
no cimento quente

 

O vento não é nada bobo

 

Enfurecido
é
furacão
 

 

 

Consciente

 
Desde Freud
ser ou não ser
a questão tem sido em como tornar o inconsciente consciente

mas, de quem?

mas, do quê?

 

Em si – ser consciente – não é nenhum bem garantido
sem ser necessariamente um mal
pode ser qualquer coisa:

a cura e uma nova doença

a iluminação e um ticket para o inferno

 

Nada é garantido
a tragédia humana pode ser tanto risível quanto um horror
e linda

 

E
pode ser
em tempos premonitórios de reality shows
que as máquinas se revelem mais humanas que os humanos

 

 

 

 

 

 

 
Aqui foi lindo, na canção original de Radiohead, Motion Picture Soundtrack, numa das melhores séries de todos os tempos:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s